Tipos de investimentos em renda fixa

Você conhece os tipos de investimentos em renda fixa? A dúvida sobre qual alternativa escolher é muito comum entre os investidores. Afinal, há uma grande variedade de possibilidades e, muitas vezes, as pessoas desconhecem quais são as melhores opções.

Dessa forma, apesar de decidir pela segurança que a renda fixa oferece, muitas pessoas utilizam apenas a poupança. Assim, devido à inflação, ocorre a perda do poder de compra do seu capital.

Pensando nisso, no artigo de hoje vamos falar sobre os principais tipos de investimento em renda fixa que você pode escolher para o seu dinheiro render mais. Continue a leitura e confira!

1. Tesouro Direto

Esse investimento é um programa que visa facilitar o acesso a diversos títulos públicos emitidos pelo Tesouro Nacional. Suas vantagens são:

Diferentemente da poupança, há incidência do imposto de renda. Os títulos podem ser classificados como:

  • tesouro Selic, que é indexado à taxa Selic, rende próximo ao CDI (índice de juros praticado entre os bancos) e é ótimo para prazos mais curtos;
  • tesouro prefixado, onde a taxa de retorno é conhecida no momento da contratação, paga um pouco mais e requer um prazo de aguardo um pouco maior;
  • tesouro IPCA, onde uma parte do rendimento é prefixado e o restante é atrelado à inflação, costuma render mais do que os anteriores e é uma boa opção para o longo prazo.

O Tesouro Selic é uma excelente alternativa para a reserva de emergência, aquele capital que você pode sacar a qualquer momento. Os Tesouros prefixados e IPCA são bons para planos futuros, como a aposentadoria.

2. CDB

O Certificado de Depósito Bancário é o título que funciona como um empréstimo para a instituição financeira que o emite. Nesse caso, o investidor se torna um credor.

Esse tipo de investimento é bastante seguro, pois é garantido pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito), que assegura a restituição de até R$ 250 mil, caso o banco não possa honrar o compromisso.

Outra vantagem do CDB é a remuneração mais elevada do que a poupança. Geralmente, eles são emitidos com o oferecimento de um percentual da taxa de empréstimo praticada entre os próprios bancos (CDI). No entanto, também podem ser prefixados ou mistos, como o Tesouro IPCA.

Há ainda CDBs com liquidez diária, que rendem todo dia e permitem o resgate a qualquer instante. Por isso, são ótimas alternativas à poupança, que só rende a cada 30 dias e com uma taxa inferior.

A desvantagem desse tipo de investimento é a incidência do imposto de renda. Porém, a taxa diminui conforme o tempo que o investimento foi realizado aumenta.

3. LCI e LCA

As Letras de Crédito Imobiliário e as Letras de Crédito Agropecuário são títulos que visam a captação de fundos para o financiamento de atividades desses setores.

As grandes vantagens desse tipo de investimento em renda fixa são a ausência de imposto de renda e a rentabilidade, normalmente mais elevada do que as opções anteriores. Além disso, ambas são garantidas pelo FGC.

A desvantagem dessas opções é a necessidade de esperar até o vencimento para resgatar o dinheiro. Contudo, não é difícil encontrá-las com taxas superiores a diversos CDBs.

4. COE

O Certificado de Operações Estruturadas é um título que reúne produtos de renda fixa e variável. Com isso, é possível diversificar os investimentos de forma simples.

Além disso, devido aos produtos variáveis, é possível obter uma rentabilidade maior do que a renda fixa tradicional sem o risco do mercado variável. No entanto, ele não é garantido pelo FGC e é necessário aguardar até o prazo de vencimento.

Após conhecer os tipos de investimentos em renda fixa que você pode escolher, uma boa prática é aplicar a diversificação dos investimentos. Dessa forma, é possível aumentar a segurança e o retorno sobre o seu capital.

E aí, já sabe por qual dos 4 tipos de investimentos em renda fixa vai optar? Restou alguma dúvida? Deixe seu comentário no post!