Resumo da Semana: Ibovespa fecha em queda de 1,95%

Ibovespa: -1,95% | 92.795 pontos

O Ibovespa fechou a semana em queda de 1,95% em 92.795 pontos, corrigindo a alta de 8,2% da semana anterior. A performance negativa seguiu o movimento das bolsas globais, que foram pressionadas pelo tom cauteloso quanto à recuperação econômica do Banco Central americano (Fed), e preocupações com uma possível segunda onda de Covid-19 nos EUA.

No internacional, o Fed decidiu manter a taxa de juros americana no patamar atual de 0-0,25% e sinalizou que os juros devem permanecer perto de zero até 2022. Com cautela quanto à recuperação econômica, indicaram que a liquidez nos mercados deve continuar farta por um bom período e que os estímulos monetários devem prosseguir por muito tempo.

No Brasil, os dados do IPCA de maio vieram acima das expetativas do mercado. Com isso, revisamos a nossa projeção de IPCA de 0,7% para 0,8% em 2020. Continuamos acreditando que a inflação abaixo do esperado abrirá espaço para que o BC corte mais 0,75 pp na taxa Selic em sua próxima reunião (17 de junho). Já o noticiário político da semana, se dividiu entre a aprovação pela Câmara dos Deputados do texto da MP 936, que permite que as empresas negociem diretamente com os trabalhadores a suspensão do contrato de trabalho por até dois meses e a redução salarial por até três meses, a divulgação dos dados da pandemia de Covid-19 e as investigações sobre as fake News.

Câmbio e juros:

O Real teve uma desvalorização em relação ao dólar de 1,8%, fechando a semana em R$ 5,05/USD. Já a curva DI para o vértice de janeiro/31 fechou 21 pontos base desde a semana passada.

O que esperar:

O Comitê de Política Monetária e a divulgação de indicadores de atividade econômica referentes a abril (vendas no varejo, performance do setor de serviços e IBC-Br) serão os principais destaques da agenda de indicadores e eventos domésticos da próxima semana. No cenário externo, os destaques serão a divulgação de dados de atividade econômica das principais economias e a inflação da Zona do Euro referente a maio.