Renda Fixa CDI

Entenda o que é a renda fixa CDI e saiba analisar melhor os títulos do mercado de investimentos

No mercado de investimentos, se deparar com o termo renda fixa CDI não é algo incomum para os investidores, principalmente por causa da importância que essa taxa tem para economia. Ainda assim, sua função é desconhecida por muitas pessoas.

E ao contrário do que alguns pensam, essa falta de informação pode sim prejudicar os investimentos em algum nível, já que diversos produtos financeiros têm sua rentabilidade atrelada a um percentual da taxa CDI.

Pensando nisso, trouxemos um guia completo sobre o Certificado de Depósito Interbancário no nosso blog, para que você entenda tudo do assunto e comece a ganhar mais com os seus investimentos. Confira!

O que é a renda fixa CDI?

A renda fixa CDI nada mais é do que um conjunto de títulos que seguem a taxa do Certificado de Depósito Interbancário como uma referência para sua própria rentabilidade, indicada em porcentagem.

Os CDIs, por sua vez, são títulos emitidos por bancos como empréstimos de curtíssimo prazo (1 dia), com o intuito de transferir recursos entre essas instituições – das que têm uma reserva para as que necessitam repor capital do seu caixa.

Vale ressaltar que os títulos que compõe a renda fixa CDI não são os próprios CDIs. Isso porque apenas instituições financeiras podem compra-los.

Como funciona o CDI?

Por regra do Banco Central, as instituições financeiras precisam fechar o dia com saldo positivo no caixa. Entretanto, é comum que alguns dias tenham saques acima do previstos, superando o número de depósitos e deixando o caixa negativo.

Para contornar a situação indesejada, esses bancos geram títulos que permitem a possibilidade de outras instituições emprestarem dinheiro a eles. Em troca, o empréstimo é pago junto com juros.

A taxa de juros utilizada nessas transações é bem vantajosa e, com o tempo, acabou se tornando um ponto de referência para diversos tipos de investimentos. Por esse motivo que, hoje em dia, é possível encontrar diversos títulos na renda fixa CDI que têm sua rentabilidade definida como um percentual dessa taxa – Ex: 110% do CDI.

Qual o CDI hoje?

A taxa de juros do CDI sofre alterações mensais que afetam diretamente os títulos que compõem a renda fixa CDI. Portanto, é importante saber qual o valor atual dela para conseguir calcular quanto exatamente um determinado título está rendendo e ainda prever o resultado do seu rendimento em reais.

Para saber qual o CDI hoje, você precisa consultar o site da B3 – empresa que faz todo o processamento das operações de renda fixa do Brasil. Sem dúvidas, é o local mais confiável para saber a taxa atual.

Ao acessar o site, você imediatamente verá um campo indicado como “Taxa CDI” no início da página. Lá estará descrito o valor do CDI em porcentagem e a data de quando esse valor estava em vigor.

Normalmente, a rentabilidade do CDI flutua em torno da taxa SELIC. Quando o dinheiro é farto no mercado, o CDI fica um pouco abaixo da SELIC, já quando o dinheiro é farto no mercado, ele fica um pouco acima da SELIC.

Benchmark para investimentos

Outra vantagem de sempre saber o valor atualizado do CDI é utiliza-lo como parâmetro para saber se qualquer outro investimento foi bem ou mal. Basicamente, os títulos que “vencem” o CDI são considerados vantajosos, enquanto os que rendem menos do que 100% dessa taxa são considerados abaixo da meta.

Afinal, é impossível investir em CDI?

Pessoas físicas infelizmente não podem comprar esse título diretamente. Entretanto, há cinco tipos de produtos financeiros no mercado que usam o CDI como referência, tornando possível o investimento indireto nesta taxa.

Veja quais tipos de títulos fazem parte da renda fixa CDI:

  • Certificado de Depósito Bancário (CDB): título de renda fixa emitido por instituições financeiras e bancos.
  • Letra de Crédito Imobiliário (LCI): título emitido por bancos com o intuito de arrecadar capital para financiamento do setor imobiliário.
  • Letra de Crédito do Agronegócio: título emitido por bancos com o intuito de arrecadar capital para o financiamento do setor agrícola.
  • Letra de Câmbio: título emitido por instituições financeiras não-bancárias.
  • Fundos de investimentos: vendido em cotas, corresponde a um conjunto de diversos ativos financeiros.

Como encontrar investimentos que rendem acima do CDI?

Encontrar investimentos que rendem acima da renda fixa CDI não é uma tarefa complicada, mas é preciso saber onde procurar. Isso porque o mercado financeiro brasileiro ainda é concentrado nos grandes bancos e são justamente essas instituições que oferecem as taxas menos atrativas.

Felizmente, os bancos de pequeno e médio porte conseguem oferecer títulos que rendem 100% do CDI ou mais. Ainda assim, há dois fatores que deixam os investidores iniciantes com um pé atrás ao investir nessas instituições:

  1. Falta de confiança: achar que a instituição pode vir a falir ou dar um golpe.
  2. Não ver comodidade: imaginar que será preciso criar uma conta em cada banco ou financeira que tem um bom título para investir.

Entretanto, a verdade é que esses dois problemas já possuem solução há muito tempo.

O Fundo Garantidor de Crédito (FGV), que assegura uma proteção de R$250.000 do seu patrimônio por CPF e por instituição financeira, consegue dar conta do primeiro problema, contanto que você tenha uma estratégia de investir em diversas instituições diferente para nunca ultrapassar esse limite.

Já para o segundo problema, a melhor opção é escolher uma boa corretora de valores para fazer seus investimentos. Uma corretora vai permitir que você tenha acesso à títulos de diversos bancos e, com isso, encontre os melhores rendimentos junto com as menores taxas de administração do mercado.

Portanto, abra já sua conta em uma das maiores corretoras de valores do Brasil e receba uma assessoria de profissionais qualificados que podem ajudar você a achar bons investimentos com base na rentabilidade da taxa CDI!

Afinal, agora que você sabe tudo o que precisa sobre a renda fixa CDI, com certeza conseguirá fazer negócios mais vantajosos e alcançar todas as vantagens dos títulos emitidos pelos bancos e financeiras.