O que é renda fixa? Entenda e comece a investir além da Poupança

O termo “renda fixa” é algo que qualquer pessoa que esteja pensando em cuidar melhor do próprio dinheiro precisa obrigatoriamente conhecer. Essa é a modalidade de investimento mais procurada pelos investidores conservadores, entretanto, muitos que estão iniciando no mundo dos ativos financeiros ainda possuem suas dúvidas quanto ao assunto e, na maioria das vezes, preferem manter o montante acumulado na poupança.

O fato é que, atualmente, aplicar dinheiro na poupança é como guarda-lo em um cofre: não há perdas, mas também não é possível fazê-lo crescer.

Além disso, em longos prazos, a quantia acumulada pode não apresentar o mesmo poder de compra, por causa da inflação. Sendo assim, vale a pena apostar em novidades que sejam mais rentáveis e igualmente seguras. Portanto, se você também deseja dar um passo à frente e sair da baixa rentabilidade da poupança, não deixe de conferir esse guia completo que preparamos sobre a renda fixa!

O que é Renda Fixa?

A renda fixa é uma modalidade de investimentos muito querida pelos investidores de perfil conservador, que querem boa rentabilidade sem abrir mão da segurança. Basicamente, é possível prever com bastante precisão qual será o retorno, visto que os juros são prefixados ou simplesmente muito estáveis. Por causa dessa característica, ela é chamada de “fixa” e não “variável” – como é o caso da Bolsa de Valores, por exemplo.

A renda fixa mostrou uma rentabilidade maior que a poupança ao longo dos anos e apresenta realmente poucos riscos, tornando-se essencial para variar a carteira!

Como a Renda Fixa funciona?

Investir em renda fixa é como emprestar dinheiro para financiar um projeto de determinada instituição, que pode ser um banco, financeira ou até mesmo o governo. Em troca, o montante do empréstimo é devolvido depois de um período pré-estabelecido com o acréscimo de uma taxa de juros. A segurança desse tipo de investimento está no Fundo Garantidor de Crédito (FGC) – o mesmo que garante a segurança da poupança – e no próprio Tesouro Nacional.

Quais os tipos de investimento em Renda Fixa?

Na renda fixa, os ativos financeiros são chamados de “títulos” e a diversidade deles permite que cada qual seja ideal para diferentes perfis ou objetivos. Entenda um pouco sobre eles a seguir:

Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional que permite a comercialização de títulos públicos. Os investimentos são direcionados para financiar dívidas internas e desenvolvimento em diversos setores da sociedade. Esse é um dos investimentos mais procurados por quem está começando a sair da poupança, principalmente por causa das suas ofertas de liquidez diária e de rentabilidade real.

CDB e LC

No caso do Certificado de Depósito Bancário (CDB) e da Letra de Câmbio (LC), você estará emprestando dinheiro às instituições financeiras para financiar suas atividades. Geralmente, elas repassam esse dinheiro, fazendo empréstimo para outras pessoas ou empresas com juros maiores.

LCI e LCA

A Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) são títulos que podem ser emitidos por instituições públicas ou privadas, com o objetivo de financiar negócios do setor imobiliário e agropecuário. Esses dois títulos são cobertos pelo FGC.

CRI e CRA

O Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI) e o Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA) são títulos emitidos por empresas securitizadoras, com o mesmo objetivo de financiar o setor imobiliário e agropecuário. Entretanto, aqui não há a garantia do FGC.

Debêntures

Debêntures são títulos emitidos por empresas de grande porte que buscam fugir dos juros altíssimos e da burocracia dos bancos. Assim, elas conseguem colocar seus projetos em prática através do empréstimo fornecido por pessoas físicas, estabelecendo como, quando e quanto vai pagar aos credores.

Como investir em renda fixa?

Para investir em renda fixa é preciso ter conta em bancos ou corretoras de valores. Contudo, a primeira opção sempre se mostrou menos atrativa, já que os bancos só conseguem ofertar os próprios títulos emitidos e, geralmente, cobram altas taxas de administração. As corretoras, por outro lado, funcionam como um “supermercado” de produtos financeiros, oferecendo uma variedade muito maior para os investidores.

Na XP Investimentos é possível encontrar títulos públicos e títulos privados de diferentes instituições. Dessa forma, você pode diversificar sua carteira de investimentos e assim conseguir melhores rentabilidades e maior segurança. Vale ressaltar que a XPI é agente integrado do tesouro direto, além de permitir aplicação programada em renda fixa e ter taxa de corretagem zero.

Como são as taxas do IR na renda fixa?

Algumas aplicações da renda fixa estão sujeitas à cobrança do Imposto de Renda (IR) sobre o que rendeu – a isenção acontece somente nas LCI, LCA, CRI e CRA. Entretanto, não é preciso se preocupar muito com isso, já que a alíquota é descontada automaticamente pelo banco ou corretora no momento do resgate. A tributação segue uma tabela regressiva de acordo com o tempo da aplicação:

  • 22,5% para aplicações com até 180 dias;
  • 20% para aplicações de 181 a 360 dias;
  • 17,5% para aplicações de 361 a 720 dias;
  • 15% a partir de 721 dias.

Como aumentar a rentabilidade e a segurança da Renda Fixa?

Apesar de toda segurança e dos ganhos maiores que a poupança, a renda fixa possui algumas peculiaridades que devem ser bem conhecidas pelo investidor, a fim de evitar problemas e dores de cabeça. Primeiramente, é preciso estar atento às datas de vencimento: ao tirar dinheiro antes do prazo acordado, é possível que você perca uma parte dos seus investimentos.

Assim, o melhor a se fazer é diversificar as aplicações e, principalmente, montar uma reserva de emergência adequada para suprir as necessidades.

Em segundo lugar, é preciso ressaltar que o FGC só consegue cobrir R$ 250,000 por instituição e por CPF. Fazendo com que, mais uma vez, a diversificação seja a chave para se manter seguro e não perder dinheiro quando determinada instituição falir. Sendo assim, antes de começar a investir, é essencial que você conheça a fundo as opções disponíveis no mercado.

Agora que você já entende o básico da renda fixa para começar seus investimentos, não deixe de criar uma conta em uma corretora de valores e começar as aplicações aos poucos, com os títulos mais simples. Com o tempo, a experiência crescerá e você poderá criar uma carteira mais diversificada e, consequentemente, terá rendimentos maiores para realizar objetivos futuros!