MGLU3

mglu3

O Magazine Luiza negocia suas ações no Novo Mercado da B3. O “Novo Mercado” destinado à negociação de ações de empresas que adotam práticas de governança corporativa e divulgação de informações adicionais em relação ao que é exigido pela legislação.

Atualmente qualquer pessoa com conta em uma corretora, conexão com a internet e um computador com uma plataforma de negociação básica (como uma plataforma gráfica ou um home broker) pode negociar ações da Magazine Luiza ou de qualquer outra companhia.

Quais ações a Magazine Luiza possui?
O Magazine Luiza só possui ações ordinárias que são aquelas que dão direito à voto nas assembleias. Cada ação corresponde a um voto. Logo, de nada adianta ter apenas mil ações, mesmo porque o Magazine Luiza tem milhões de ações e, além disso, mais de 50% delas estão apenas com um grupo de controladores.

Qual são os códigos das ações da Magazine Luiza?
Cada ação é negociada na bolsa por um código composto por quatro letras e um dígito. O nome desse código é ticker e o ticker dessa companhia é MGLU3.

São negociadas em quais bolsas?
Algumas ações brasileiras são negociadas em bolsas estrangeiras através de recibos que “travam” as ações correspondentes em uma custodiante brasileira. Mas não é o caso das ações da Magazine Luiza (MGLU3).

Compre ações da MGLU3 e também de outras grandes empresas do Brasil.

As ações da Magazine Luiza (MGLU3) tiveram uma valorização assombrosa de 2016 para cá. Em janeiro daquele ano, desconsiderando desdobramentos, valiam na faixa de R$ 1,80. Em julho de 2019, antes do desdobramento de suas ações, cada MGLU3 estava na faixa de R$ 280. Sim, isso mesmo que você acabou de ler, elas saltaram de R$ 1,80 para R$ 280.

Se você tivesse comprado R$ 10 mil desses papeis, em 2016, em julho de 2019 teria, R$ 2,800.000 milhões, aproximadamente. Mas, como adivinhar, não é mesmo?

Após terem subido 20,52% em outubro, as ações da Magazine Luiza (MGLU3) dispararam mais 5,71% no primeiro pregão de novembro. No ano, a valorização já chega a 108,49%.

O otimismo tem respaldo na gestão e na rentabilidade da companhia, que é apontada por muitos analistas como um case de sucesso no setor varejista.

Já o desempenho recente do papel está relacionado à oferta de ações anunciada pela empresa no dia 31 de outubro. A operação vai distribuir 90 milhões de novas ações e pode gerar mais de R$ 5 bilhões.