Marfrig (MRFG3): Resultados 4T19

Marfrig (MRFG3): os 4 principais assuntos da teleconferência de resultados da empresa

Em sua teleconferência de resultados referente ao quarto trimestre de 2019, a Marfrig (MRFG3) esclareceu que não está sendo impactada materialmente pelo surto de coronavirus. A empresa expressou também seu desejo de aumentar a representatividade de sua linha de produtos industrializados, por meio de iniciativas como as de carnes embaladas (“case ready”) e carnes vegetais;

Outro ponto importante é que a empresa deu mais detalhes sobre seu programa de eficiência operacional e gestão de ativos, que incluiu o fechamento de uma planta no quarto trimestre. Por fim, o presidente do Conselho de Administração da Marfrig (MRFG3), Marcos Molina, comentou sobre o potencial de listagem da empresa na bolsa nos Estados Unidos;

marfrig

Compre Ações e torne-se sócio das maiores empresas do Brasil.

#1 Coronavírus
A Marfrig (MRFG3) afirmou que não está sendo impactada materialmente pelo surto da doença. Desde o começo de Dezembro, a companhia já havia começado a redirecionar parte de suas exportações para mercados alternativos. Inclusive, alguns desses países ofereciam melhores condições de compra, o que favoreceu a receita da operação na América do Sul.

Adicionalmente, a empresa mencionou o fato de que o governo chinês anunciou linhas especiais de financiamento para importadores a juros subsidiados. Tal medida é importante pois corrobora a ideia de que a situação na China estaria caminhando para uma normalização.

#2 Mix de Produtos
Hoje, 10% da receita líquida da Marfrig (MRFG3) vem de produtos industrializados, enquanto os 90% restantes vem do processamento bovino – com 70% da operação na América do Norte e 20% na América do Sul. Durante sua teleconferência de resultados, a empresa expressou o desejo de aumentar sua linha de produtos processados, pois eles podem ser vendidos a preços mais altos e, portanto, contribuem positivamente para a rentabilidade da empresa. Para isso, a Marfrig (MRFG3) pretende investir no segmento de carnes embaladas (“case-ready”) nos Estados Unidos. Outra iniciativa de destaque é sua linha de carnes vegetais, cujos lançamentos para 2020 podem incluir quibes e almôndegas.

#3 Otimização das Plantas
No quarto trimestre de 2019, a Marfrig (MRFG3) fechou a sua planta de Nova Xavantina, o que teve um efeito não caixa de R$ 98 milhões. Essa operação foi descontinuada como parte do programa de eficiência operacional e gestão de ativos. Uma das inspirações desse programa é a National Beef, empresa norte-americana controlada pela Marfrig (MRFG3): o racional é focar a produção em plantas maiores e mais eficientes, e ir gradativamente fechando as menores, além de aumentar a produtividade nas remanescentes. Para 2020, a empresa deve dar continuidade ao programa de eficiência, se voltando inclusive para a Argentina e o Uruguai.

#4 Potencial adicional para os acionistas
Por fim, em sua teleconferência de resultados, o presidente do Conselho de Administração da Marfrig (MRFG3), Marcos Molina, comentou brevemente sobre o potencial de listagem da empresa na bolsa nos Estados Unidos. Além disso, ele esclareceu que, antes de distribuir dividendos, a empresa endereçará o prejuízo acumulado, sendo que ainda não pensam em fazê-lo em 2020. A empresa reiterou sua visão otimista para o mercado de proteínas em 2020, com a economia aquecida nos Estados Unidos e exportações fortes vindas da América do Sul.