Magazine Luiza (MGLU3): Sólidos resultados no 4T19

Magazine Luiza (MGLU3): Sólidos resultados no 4T19

Resultado positivo, com EBITDA e Lucro Líquido 3% e 9% acima das nossas expectativas, respectivamente. Acreditamos que os investimentos contínuos na plataforma de serviços da companhia (Magalu-as-a-service) e na aquisição de clientes devem continuar contribuindo para o crescimento acelerado em 2020.

O Magazine Luiza (MGLU3) reportou sólidos resultados referentes ao quarto trimestre de 2019 (4T19), com EBITDA e Lucro Líquido 3% e 9% acima das nossas expectativas, respectivamente. A receita líquida de R$ 6,4 bilhões cresceu +38% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, suportado por um sólido crescimento de vendas nas lojas físicas de +12,6% A/A (XPIe +10,7%) no conceito mesmas lojas e um crescimento de vendas orgânico na operação online (estimado) de +50% A/A (excluindo Netshoes).

magazine-luiza-mglu3

Compre ações e torne-se sócio das maiores empresas do Brasil.

O EBITDA ajustado de R$ 395 milhões veio 3% acima das nossas expectativas, crescendo 12% A/A, o que representou uma margem de 6,2% no trimestre, em linha com a nossa expectativa. A queda de 1,4 p.p A/A na rentabilidade é reflexo dos contínuos investimentos da companhia em aquisição de clientes, fortalecimento da multicanalidade e da plataforma de serviços. Finalmente, o lucro líquido de R$ 185 milhões veio 9% acima das nossas expectativas.

Principais Destaques do Resultado de 4T19 da Magazine Luiza (MGLU3)
25 milhões de clientes ativos (e contando…). A mudança na diretriz estratégica da empresa (de uma varejista para um ecossistema focado em varejo) continua a alavancar o crescimento da base de usuários de forma relevante. No trimestre, a companhia atingiu a marca de 25 milhões de clientes ativos e 19 milhões de usuários ativos mensais (MAU) nos seus diversos aplicativos (vs. 23,5 milhões e 14 milhões no 3T19, respectivamente). Vale ressaltar também o crescimento da base de vendedores no trimestre, que atingiu 15,0 mil no 4T19 (11,4 mil no 3T19).

Perspectiva 2020: Foco em aumento do sortimento, com investimento em margem. A entrada da companhia em novas categorias por meio das aquisições concluídas ao longo dos últimos anos (Netshoes, Época Cosméticos e Estante Virtual) e o crescimento do marketplace devem continuar a contribuir para a expansão do sortimento de produtos oferecido pelo Magazine Luiza (MGLU3). Além disso, o comunicado da administração também apontou para contínuos investimentos em margem no curto prazo, a fim de suportar crescimento e geração de valor no longo prazo.

Nossa visão
Esperamos uma reação positiva em relação aos resultados. Além do lucro reportado ter nos surpreendido positivamente, acreditamos que os investimentos contínuos na plataforma de serviços da companhia (Magalu-as-a-service) e na aquisição de clientes devem continuar contribuindo para o crescimento acelerado em 2020. Esperamos que isso seja suportado pela posição de caixa de R$ 4,7 bilhões ao final do ano, e vemos espaço para potenciais surpresas positivas em relação à estratégia de alocação de capital da companhia.

Entretanto, nós vemos um potencial de valorização das ações relativamente limitado nos níveis atuais, com o papel negociando a um múltiplo de 2,4x em relação às vendas totais (GMV) (vs. 1,5x para B2W). Portanto, mantemos a nossa recomendação Neutra para as ações da Magazine Luiza (MGLU3).