1. Panorama e Performance
Após uma forte performance dos fundos imobiliários no mês de dezembro, refletindo numa alta do índice IFIX de 11% no período, vimos uma leve correção de -3,8% no mês de janeiro. Apesar da performance negativa no início do ano, os fundamentos que embasam a nossa perspectiva positiva para o setor permaneceram inalterados.

Dezembro de 2019 foi um mês muito forte para os Fundos Imobiliários, fechando um ano de recorde geral para esse tipo de ativo. Já em janeiro, na abertura do ano, nossos especialistas apontaram quedas nos preços.

XPML11 é um fundo imobiliário do tipo tijolo. O foco dos seus investimentos está majoritariamente em propriedades de shoppings.

Fundos de tijolo como XPML11 possuem essa característica pelo motivo de obterem imóveis físicos, podendo o fundo rentabilizar através da compra ou construção para gerar aluguéis ou também ganhar com a venda dos imóveis.

XPLG11 é um fundo imobiliário do tipo tijolo. Seus investimentos são direcionados em propriedades comercias do segmento galpões.

Fundos de tijolo como o XPLG11 possuem essa característica pelo motivo de obterem imóveis físicos, podendo o fundo rentabilizar através da compra ou construção para gerar aluguéis ou também ganhar com a venda dos imóveis.

Na edição 2018, o evento reuniu mais de 1.000 participantes de 18 estados do Brasil e gerou propostas para a evolução da indústria de FIIs.

Custos para Investir

Quando um investidor compra uma aplicação, ele quer ver seu dinheiro render o máximo possível. Para que isso ocorra, deve-se observar não só a rentabilidade do investimento. Os custos para investir tomarão parte da rentabilidade, portanto devem ser contabilizados. As taxas cobradas variam de acordo com a aplicação.