Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um dos investimentos mais populares do Brasil. Um dos motivos para isso é o fato de o programa realizar a negociação de títulos públicos, que são os títulos mais seguros do mercado. Além disso, o Tesouro Direto oferece diversas opções de títulos que podem se adequar aos seus diferentes objetivos financeiros, sejam eles de curto ou longo prazo.

Aqui nesta página você vai encontrar toda a informação que precisa para saber se investir no Tesouro Direto é ou não o melhor negócio. Você pode preencher o formulário ao lado para receber uma simulação de como o seu investimento vai render se estiver no Tesouro Direto e caso tenha alguma dúvida, pode falar conosco pelo whatsapp no ícone que fica abaixo ao lado direito.

Boa leitura 🙂

O que é Tesouro Direto?

Tesouro Direto, um programa do Governo Federal desenvolvido em 2002 através de uma parceria entre o Tesouro Nacional e a B3 (antiga BM&FBovespa). O objetivo desse programa é facilitar o acesso de pessoas físicas à investimentos em títulos públicos através da internet.

Os títulos públicos são uma forma do governo captar dinheiro para a sua gestão, como por exemplo para as áreas da saúde, educação e infraestrutura. Antes desse programa, era difícil e menos rentável investir no Tesouro Direto, pois só era possível fazê-lo através de fundos de investimento em renda fixa, ou seja, de forma indireta.

Com R$ 30 já é possível começar a investir no Tesouro Direto. Ao comprar um título, o Tesouro Nacional paga juros sobre o valor investido durante o tempo da aplicação.


Por que investir no Tesouro Direto?

Os 6 principais motivos para se investir no Tesouro Direto são:

Rentabilidade: O Tesouro Direto possui uma rentabilidade superior comparada a caderneta de poupança, e essa vantagem se torna mais significativa ao longo dos anos.

Acessível: com uma aplicação mínima de R$ 30 é possível realizar a compra de um título. Por isso, é uma ótima opção para quem possui uma menor quantia inicial para investir.

Segurança: o Tesouro Direto é um dos investimentos mais seguros do mercado, já que todo o investimento é feito ao Governo Federal. Ou seja, além de render, você ainda tem a tranquilidade de que seu dinheiro estará seguro.

Resgaste: a liquidez dos títulos é diária. Todo dia através da plataforma do Tesouro Direto ocorre a recompra e venda dos títulos do Tesouro, mesmo que o investidor não tenha ficado com o título pelo prazo contratado. Contudo, o título só pode ser vendido a preço de mercado do dia da operação de venda. Em todo caso, esse tipo de investimento dá segurança e liberdade para manusear o título da forma mais adequada para cada um.

Facilidade: o Tesouro Direto é um investimento muito conveniente, pois é possível investir e acompanhar os seus títulos através da internet. É necessário fazer um cadastro no site do Tesouro e outro cadastro em uma corretora como a XP. Aqui na XP o cadastro é somente pela internet, e é rápido, fácil e seguro.

Variedade: existem cinco tipos de títulos, com perfis diferentes, para investimentos a curto, médio e longo prazo. Por exemplo, se a intenção é investir para comprar um imóvel, existem títulos que são mais rentáveis do que simplesmente reservar o dinheiro mensalmente na poupança para conseguir realizar a entrada da casa ou apto. Um outro objetivo pode ser a aposentadoria. Podem ser encontrados títulos de diversos prazos, porém quanto maior o tempo investido maior a rentabilidade.

Quais os custos envolvidos em investir no Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é um investimento muito prático. Além de ser realizado pela internet, tem poucas taxas:

A da BM&FBOVESPA, que é de 0,25% ao ano

Desconto do Imposto de Renda, que varia de acordo com o tempo que o dinheiro ficará aplicado.

Muitas vezes, a taxa da instituição. A XP Investimentos não cobra nenhuma taxa, o que já aumenta o rendimento do investimento.

O valor mínimo de compra é de trinta reais e o máximo é de um milhão por mês. Ou seja, com pouco dinheiro já é possível começar a investir!

Em quais títulos investir?

O Tesouro tem uma boa variedade de títulos disponíveis. Dessa forma, você consegue escolher um que se adeque ao seu perfil e objetivo de investimento. Por exemplo, se a intenção é investir para fazer uma viagem, o Tesouro pré-fixado (LTN) pode ser o mais indicado. Se a ideia é começar a pensar na aposentadoria, o Tesouro IPCA é uma boa opção.

Existem cinco tipos de títulos, divididos em duas categorias dentro do Tesouro Direto, os pré-fixados e os pós fixados.

Títulos pré-fixados:

Nesta categoria o investidor sabe exatamente o quanto vai receber se mantiver o título até a data de vencimento, independentemente da variação da taxa básica de juros, pois a rentabilidade do título é pré acordada no momento do investimento.

Tesouro pré-fixado (LTN): A Letra do Tesouro Nacional (LTN) é um título que possui sua rentabilidade fixada. Caso mantido até o vencimento, o investidor receberá R$ 1.000 para cada unidade do papel (ou o proporcional de acordo com a fração contratada do título). É um investimento interessante para quem acredita que a taxa básica de juros ou a inflação não irá superar essa rentabilidade pré-determinada durante o período do investimento.

Tesouro pré-fixado com juros semestrais (NTN-F): Assim como o Tesouro LTN, a Nota do Tesouro Nacional Série F (NTN – F), possui rentabilidade definida no momento da compra, com o diferencial sendo o período de pagamento – a cada seis meses, o investidor receberá o pagamento dos juros referentes a esse título. O pagamento do principal (dinheiro investido inicialmente) ocorre no vencimento do título em uma única parcela.

Títulos pós-fixados:

Nesta categoria de títulos, diferentemente dos pré-fixados, a rentabilidade é determinada através de um percentual sobre uma taxa, que pode ser o CDI (certificado de depósito interbancário) ou o IPCA (inflação) na maioria das vezes.

Tesouro IPCA + (NTN-B Principal):

Esse título acompanha a variação da inflação (IPCA) somado a uma taxa prefixada. Portanto, o tesouro IPCA+ garante a proteção do investidor contra as variações da inflação, pois a rentabilidade total do título será superior à inflação.

Tesouro IPCA+ com juros sem. (NTN-B):

Rendimento vinculado à inflação, somado a um valor prefixado no momento em que o título é adquirido, com o diferencial de pagar a rentabilidade a cada seis meses. O investidor também fica protegido contra a variação da inflação.

Tesouro Selic (LFT):

Esse título acompanha a variação da inflação (IPCA) somado a uma taxa prefixada. Portanto, o tesouro IPCA+ garante a proteção do investidor contra as variações da inflação, pois a rentabilidade total do título será superior à inflação.

Em qualquer um dos títulos apresentados, seja ele pré ou pós fixado, o investidor é livre para vendê-los antes do vencimento, já que o Tesouro Direto proporciona liquidez diária. Porém, vale ressaltar que ao vender um título antecipadamente o mesmo fica sujeito ao valor do preço de mercado, o que pode trazer uma rentabilidade maior ou menor do que a contratada.