Investimentos no Exterior

Esse ativo pode ser uma ação ou um fundo de investimentos.

Aplicando nesses títulos, você contribui para o crescimento de lucros de negócios estrangeiros mas também se beneficia.

Veja abaixo os motivos pelos quais você deveria investir no exterior.

Por que Investir no Exterior?

Existem diversas vantagens de se investir no exterior, como por exemplo:

Balanceamento da sua carteira;

Diversificação dos investimentos;

Redução de riscos.

Balanceamento da Carteira

Você com certeza tem alguns produtos importados, certo? Celular, computador, roupas, cosméticos, eletrodomésticos e por aí vai.

A maioria desses bens, que são seus passivos, está atrelada ao dólar.

Quando você investe no Brasil, você passa a ter na sua carteira ativos atrelados ao real, moeda local.

Dessa forma, seus ativos e passivos não estão balanceados.

Ao investir em títulos estrangeiros, você passa a contar com ativos atrelados ao dólar em sua carteira. Assim sendo, você se protege em relação à desvalorização do real.

Além disso, investindo no exterior você balanceia sua carteira podendo obter bons rendimentos mesmo quando os títulos brasileiros não vão bem, como agora com a queda da taxa de juros.

Diversificação de Investimentos

A bolsa de valores brasileira dispõem apenas de 3% do total de ativos no mercado.

Investindo no exterior, você tem acesso acesso a todo o mercado global, podendo alocar seu patrimônio nos mais variados setores e classes de investimento.

Além de diversificar seu portfólio, você tem a chance de se tornar sócio de grandes marcas como a Nike, a Coca-Cola, a Apple e a Amazon, por exemplo.

Redução de Riscos

Balanceando seus ativos e passivos e diversificando sua carteira, você reduz consideravelmente os riscos de seus investimentos.

Tendo essa proteção, em caso de uma crise nacional em que haja inflação e o real se desvalorize, por exemplo, você tem ganhos proporcionais.

Onde Investir no Exterior

Você pode investir no exterior de duas formas: fazendo transferências internacionais ou não.

Entenda abaixo quais são os ativos que se encaixam em cada uma dessas formas de investimento.

Fundos de Investimentos

Fundos voltados a investidores de varejo podem destinar até 20% de seus recursos a ativos estrangeiros, desde que isso conste na política de investimento.

Para investidores qualificados (que tenham pelo menos R$ 1 milhão investidos), os fundos comuns são autorizados a alocar até 40% de seu patrimônio em títulos estrangeiros.

Outra opção para este tipo de investidor são os fundos de investimento no exterior, que podem ter 100% de sua carteira alocada em ativos estrangeiros.

Pode-se dizer que os fundos são uma das formas mais fáceis de se investir no exterior sem que a haja a necessidade de se fazer uma transferência internacional.

Quanto à tributação, há uma alíquota de 15% sobre os ganhos de capital em fundos de ações.

Caso o fundo seja de renda fixa ou multimercado, você deve se atentar à tabela regressiva do Imposto de Renda.

A desvantagem de investir nesses fundos de investimento é que as taxas de administração costumam ser significativamente altas, o que acaba reduzindo seus ganhos com esses investimentos.

Isso se explica pois esses fundos exigem uma análise mais detalhada e um maior cuidado nas decisões de investimentos.

Exchange Traded Funds (ETFs) de Ações Internacionais

Você pode investir em índices de ações estrangeiras através dos Exchange Traded Funds.

Esses ETFs são como fundos de índices, e a rentabilidade desse tipo de investimento acompanha o desempenho de carteiras de índices.

Essa opção é de fácil acesso aos investidores pois as cotas dos ETFs são negociadas na bolsa, assim como as de fundos imobiliários.

Na B3 você tem acesso a cotas de ETFs que acompanham o S&P 500, composto por 500 ações negociadas na NYSE e na NASDAQ.

Essa forma de investimento no exterior lhe permite uma grande diversificação a valores baixos e, mesmo sendo negociados em real, lhe concedem os mesmos benefícios de investimentos em dólares.

Quanto aos custos de se investir em ETFs, você paga a taxa de corretagem de sua corretora e 15% de Imposto de Renda sobre os ganhos na venda de suas cotas.

Apesar da semelhança com os custos de se investir em ações, no caso de ETFs não há  isenção de IR para valores abaixo de R$ 20 mil.

Exchange Traded Commodities (ETCs)

Os ETCs são ativos muito semelhantes aos ETFs, mas, em vez de “investirem” em índices de ações, investem em commodities.

As principais commodities negociadas em ETCs são a soja, o petróleo e o ouro.

Brazilian Depositary Recepits (BDRs)

BDRs são certificados de depósitos emitidos por empresas estrangeiras. São títulos representativos de ações dessas empresas negociados na B3 e depositados num custodiante.

Para investir nesse tipo de ativo, você não precisa transferir dinheiro para fora.

Ao investir num BDR você investe nesse título representativo, e não na ação em si.

Existem dois tipo de BDRs disponíveis: os patrocinados e os não patrocinados.

Nos BDRs patrocinados, a própria empresa estrangeira emite o BDR e o custodia.

No caso de BDRs não patrocinados, uma instituição depositária local recebe autorização para emitir e custodiar os BDRs.

Algumas das empresas emissoras de BDRs são a Apple, o Google a a HP.

Os custos de se investir em BDRs é o da taxa de corretagem, custódia e emolumentos.

Além disso, há incidência de Imposto de Renda sobre os ganhos obtidos nas negociações, sendo a alíquota de 15%.

Certificados de Operações Estruturadas (COE)

Os COEs são “pacotes” compostos de ativos de renda fixa e variável. Enquanto uns pagam juros, outros pagam derivativos.

Os COEs podem ser indexados em ativos como ações, moedas e ouro, por exemplo.

Esses títulos são emitidos por bancos e rendem um percentual da oscilação positiva dos índices.

Ou seja, se o índice apresentar alta, você ganha. Se apresentar baixa, você não perde.

Isso se explica pois normalmente os BDRs dispõem de uma engenharia financeira que faz com que o investidor possa se proteger de perdas, recebendo de volta o valor que aplicou.

Para investir em COEs, basta abrir sua conta em uma corretora que ofereça este produto.

Lembre-se que você deve investir num COE atrelado a um índice que você acredita que irá se valorizar.

Corretoras de Valores

Caso você não se importe de fazer transferências internacionais, você pode optar por abrir sua conta em uma corretora de valores estrangeira para comprar e vender ativos.

A XP Investimentos é a mais indicada para fazer investimentos no exterior, pois foi criada para investidores latino americanos terem acesso a investimentos dos Estados Unidos, como ações, ADRS e ETFs.


6 Melhores Investimentos para 2020?

Ações 2020

Invista em ações e seja sócio das principais empresas do país. Além de poder ganhar com o crescimento e distribuição de lucro das empresas, com a XP, você aprenderá estratégias para aproveitar o crescimento da Bolsa de Valores.

Fundos Imobiliários 2020

Os Fundos de Investimento Imobiliário (FII) são formados por investidores que aplicam em negócios imobiliários, desde o desenvolvimento de um empreendimento até imóveis prontos, obtendo retorno pela exploração dos locais.

COE 2020

O COE (Certificado de operações estruturadas) é um tipo de investimento que mescla elementos de Renda Fixa e Variável e seu capital pode ser parcial ou totalmente protegido contra perdas nominais do valor investido.

Fundos de Investimento 2020

Tipo de aplicação financeira que reúne recursos de um conjunto de investidores, permitindo assim investir em uma variada cesta de ativos, em diferentes mercados. Pode englobar, Derivativos, Commodities, Ações, entre outros.

Renda Fixa CDB 2020

Se você está começando a investir, um dos investimentos mais simples e populares do mercado é o CDB. Este é um investimento que, além de ser tão seguro quanto a poupança, tem uma rentabilidade maior ainda.

Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um dos investimentos mais populares do Brasil. Um dos motivos para isso é o fato de o programa realizar a negociação de títulos públicos, que são os títulos mais seguros do mercado.

Como a Taxa Selic influencia nos Melhores Investimentos para 2020

A Taxa Selic passou por uma nova baixa e está em 3,75% ao ano . Se você coloca todo seu dinheiro em apenas uma aplicação, qualquer surpresa ou pode consumir seu patrimônio. Diversificar é o caminho para se manter ganhando dinheiro e não sofrer com quedas na taxa Selic, por exemplo. Ao diversificar, o investidor pode aprender e conhecer as diversas opções. Também pode apostar em aplicações diferentes, como ações. A diversificação é o segredo da rentabilidade experimentada pelos cotistas de fundos multimercado. Essas aplicações aliam diversos produtos de renda fixa e variável. A possibilidade de ganhos aumenta, mas os riscos também.