AES Tietê (TIET11)

AES Tietê (TIET11) reportou o resultado do 3T19 com um lucro líquido de R$ 97,1 mi, acima da nossa estimativa de R$ 83,7 mi. O EBITDA ajustado de R$ 254,2 mi veio levemente abaixo dos nossos R$ 263,1 mi (-3,4%), uma vez que a menor margem de contribuição (receitas de energia menos custos de comercialização e transmissão) de R$ 352,9 milhões, contra nossos R$ 370,1 mi, foi parcialmente compensada por custos gerenciáveis menores do que o esperado (R$ 83,1 mi vs. R$ 94,2 mi).

A empresa também propôs uma distribuição de dividendos de R$ 0,26667/unit (yield de 2,2%), ou um pagamento de 110%. As ações serão negociadas ex-dividendos a partir 11 de novembro de 2019 (data de registro em 8 de novembro) e o pagamento será feito em 22 de novembro de 2019.

AES Tiete TIET11

Compre ações da AES Tietê (TIET11) e também de outras grandes empresas brasileiras, clicando aqui

AES Tietê (TIET11)

Temos uma avaliação ligeiramente positiva dos resultados do 3T19 da AES Tietê (TIET11), dado que o lucro líquido superou nossas estimativas, apesar do cenário desafiador para as geradores no trimestre, que apresentou uma uma combinação adversa de baixa incidência de chuvas e preços mais baixos de energia no mercado de curto prazo.

Vemos o 3T19 como uma prova da melhoria da estratégia de alocação sazonal da Tietê, bem como um exemplo dos impactos positivos da crescente exposição da empresa ao segmento de energias renováveis. Notamos que a primeira fase da usina solar Ouroeste (69 MW) iniciou suas operações em agosto de 2019 e a segunda fase entrou em fase de testes em outubro de 2019, um ano antes do previsto.

Por fim, também elogiamos o esforço de controle de custos da AES Tietê (TIET11), com custos gerenciáveis menores em termos nominais no ano contra ano (-0,35%), comparado inflação de 2,89% no período.

Após a desistência da empresa de adquirir o complexo eólico Alto Sertão III da Renova, o mercado deve se concentrar em futuras iniciativas de crescimento no segmento de energias renováveis, bem como nos possíveis impactos do projeto de lei 10.985 / 2019 (cuja aprovação ainda está pendente no Senado) , como a potencial extensão de prazo concessões hidrelétricas.

Em resumo, acreditamos que as ações da AES Tietê (TIET11) fornece uma das melhores histórias de risco-retorno entre as elétricas. Mantemos nossa recomendação de compra e nosso preço-alvo de R$ 16,50/unit.